quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Estudantes organizam movimento em São Paulo contra a corrupção

Fernanda Nascimento
Integrantes do grupo "Dia do Basta" protestam pela saída de José Sarney
Pelo menos quatro grupos programaram para o Dia da Independência manifestações de protesto contra a corrupção que infesta a política brasileira. Nenhum tem uma aparência tão jovem quanto o que promove, pela quarta vez neste ano, o “Dia do Basta”. Aos 18 anos, o paulistano  Vitor Lorente, estudante de sociologia, divide a coordenação com líderes da mesma faixa etária. Às 14 horas deste 7 de setembro, eles estarão juntos na largada da passeata que saíra da frente do prédio do Masp, na Avenida Paulista. Nesta entrevista, Vitor fala sobre os objetivos do movimento.
O que vocês pretendem conseguir com essa manifestação?
Precisamos promover uma renovação neste país. A gente diz que vive em uma democracia, mas ninguém sabe o que está acontecendo. A tal faxina da Dilma, por exemplo, está tirando um monte de ministros. Mas quem são os que estão entrando no lugar? Nosso intuito é justamente criar uma mobilização popular. Queremos levar as pessoas para a rua. Se você olhar para a história do Brasil, percebe que os grandes movimentos populares começaram assim, pequenos.
Só em São Paulo, pelo menos três atos de protesto estão marcados para o mesmo dia, mas em horários e locais diferentes. Por que não reunir todos na mesma manifestação?
Conseguimos juntar vários grupos para organizar o desfile da escola de samba “Unidos contra a corrupção”, marcado para o Dia da Independência. Temos as nossas reinvindicações particulares, mas sabemos que só seremos ouvidos se juntarmos bastante gente. Pensamos: vamos entrar em um acordo, vamos juntar todo mundo e adaptar algumas coisas. Mas nem sempre é possível conciliar tudo.
Por que usar o Facebook para organizar a passeata?
Nós vemos a rede social como uma ferramenta de mobilização popular. No Facebook, muita gente que confirma presença acaba não comparecendo, mas o contrário também ocorre. Algumas pessoas estarão circulando pela Paulista na hora da passeata, verão a movimentação e acabarão aderindo ao movimento. Esperamos pelo menos 2 mil pessoas em São Paulo. O interessante do Facebook é que os próprios participantes chamam mais gente. Assim, mais pessoas são convidadas o tempo todo. O importante é participar.
Falta iniciativa à nova geração?
Uma coisa muito triste que costumo ouvir é que a juventude hoje em dia não faz nada. “Na minha época era diferente”, dizem. Mas existem, sim, jovens interessados nos problemas do país que saem às ruas para protestar. E não é um bando de jovens que só querem fazer barulho. Passamos muito tempo debatendo, discutindo. Temos membros com 15 anos no grupo, mas são pessoas com senso crítico apuradíssimo.
Algum partido político foi convidado a juntar-se ao movimento?
Esse é o principal ponto de debate entre os organizadores do grupo. Como nossas manifestações são promovidas apenas por jovens, não temos tanto dinheiro para fazer cartazes, panfletos, camisetas. Às vezes, fica complicado tirar do próprio bolso. Para você ter ideia, o organizador mais velho do nosso grupo tem 19 anos. Já pensamos em procurar alguns partidos para tentar algum apoio ou parceria, mas decidimos ser apartidários. Até porque quem luta contra a corrupção está lutando contra o PT, PSDB, PMDB… Todos os partidos tem um pezinho ali.

7 comentários:

  1. SE A MODA PEGA...KKKKK2 de setembro de 2011 07:35

    SE OS ESTUDANTES DE ANALÂNDIA FIZER PASSEATA KKKKK FICA SEM ESCOLA A ´DONA DA ESCOLA DA CRIA COM O ACESSOR...KKKKKK

    ResponderExcluir
  2. Estou emocionada só de ver essa foto e lembrar de antigas gerações guerreiras. Essas gerações não fizera parte da minha mas, umas vieram antes (Ditadura)jovens com 14, 16 anos, completamente politizados, cultos, participavam com igualdade de outros países que queriam "liberdade", liberdade de expressão, liberdadede de ir e vir e muito mais. Quem quiser saber das barbáries contra essa geração leia "Brasil: Nunca Mais" desenvolvido por Dom Paulo Evaristo Arns. Outra geração que mexeu com minha emoção foram os "caras pintadas", que tirou Color do governo.
    Estou muito feliz e comovida em saber que temos sim uma geração que quer ter orgulho do seu país. Que não importa partido político etc (Na minha época só tinha 2:ARENA E MDB. O que queremos são jovens participantes, cidadãos cumprindo com seus deveres e exigindo seus direitos.

    ResponderExcluir
  3. O que me comove é ver pais que criam filhos que desrespeitam professores e que não ligam para o futuro. Famílias desestruturadas, filhos desestruturados, sociedade desestruturada. População impotente quanto aos pais que ensinam os filhos a buscarem seus direitos sem ordem, claro, diferente desta ótima publicação. Está dito.

    ResponderExcluir
  4. Meia verdade, concordo plenamente, como profa. já em fase de aposentadoria, nunca vi crianças e adolescentes tão sem limites, sem educação. Antigamente era um orgulho ser professor. Hoje somos motivo de chacota, desmotivadas, sem aperfeiçoamento e sem preparo para lidar com crianças que os pais pensam que a educação tem que ser dada na escola. Pais que não conseguem ficar meia hora com seus filhos em uma sala fechada e os professores ficam com os filhos deles 5 horas por dia. Concordo tbem que a criança não tem culpa de virem de familias sem estrutura, sem condições de cuidarem de seus filhos, mas acho que voce deveria se comover sim em saber que estamos vendo uma luz no fim do tunel. Que há esperança.Que não é só trevas, que temos sim crianças e jovens lutando para um futuro melhor.
    OBS: esta "otima" publicação a que se refere, foi feita de coração. Tenho netas, sobrinhas, muitos alunos a quem dei aula e acompanho suas vidas até hj. Não sou demagoga. a não ser, que voce como algumas pessoas são aquelas que misturam o pessoal com o profissional. Está dito.

    ResponderExcluir
  5. Esqueci de um detalhe. Nós nos comovemos de ver essa juventude e tentamos ajudar a essas que pra sociedade são "marginalizadas". E voce, faz o que para ajudar alem de criticar.

    ResponderExcluir
  6. Ate onde eu sei passeata´ainda é permitido nesse país. Liberdade de expressão tambem. Então que os "caras pintadas" retornem as ruas e exigam o expurgo dos corruptos. Liberdade, abre as asas sobre nós..... e traga de volta a dignidade, a seriedade e um pouco de humanismo.E que os corruptos, dentro da lei E DA ORDEM, sejam punidos com a pena que lhes cabe.LIBERDADE!

    ResponderExcluir
  7. "MEIA VERDADE" INFELIZMENTE AS PESSOAS MISTURAM A VIDA PESSOAL COM VIDA PRIVADA. E QUEM ATACA UMA OPINIÃO DENTRO DO CONTEXTO DO TEXTO QUE É O COMENTÁRIO DA PROFª NANCI LEMBRANÇA DE GERAÇÕES GUERREIRAS ASSIM COMO O MOVIMENTO CARAS PINTADAS ESTA CONFUNDINDO AS BOLAS, COM CERTEZA NÃO É UMA PESSOA INTELIGENTE E SIM DIGNA DE PENA , SUGIRO A "MEIA VERDADE" QUE REVEJA SUAS VERDADES.

    ResponderExcluir

Aqueles que desejarem citar nomes deverão se identificar, pois todos tem direito de defesa e de resposta.
Mas ressaltamos que comentários caluniosos, não serão publicados.
Aproveite este espaço que é seu, usando da melhor maneira!
O Blog Unidos Por Analândia é instrumento sério que busca a verdade e o bem da população Analandense abrindo esse espaço para manifestações e informações!!!