terça-feira, 7 de setembro de 2010

Às favas com os direitos

Só pes­qui­sas podem medir com al­gu­ma chan­ce de pre­ci­são se um epi­só­dio como o da que­bra rei­te­ra­da de si­gi­lo fis­cal nas de­pen­dên­cias da Receita Federal mexe com a sen­si­bi­li­da­de do elei­to­ra­do ao ponto de fazer da pre­ser­va­ção do Estado de Direito um dos fa­to­res para de­fi­ni­ção de voto.

A pri­mei­ra im­pres­são é a de que não in­flui. Isso com base no peso que a po­pu­la­ção tem dado a ques­tões como va­lo­res e prin­cí­pios.

A ética foi en­ter­ra­da como in­di­gen­te. Em si­lên­cio, sem choro nem vela e à gran­de maio­ria pouco se lhe dá se o Estado au­men­ta seu poder dis­cri­cio­ná­rio, in­va­de pri­va­ci­da­de, agri­de a Constituição, bar­ba­ri­za com o pa­tri­mô­nio pú­bli­co, usa, abusa e ainda sai di­zen­do que o que vem de­bai­xo não o atin­ge.

Distorce a ver­da­de para fazer o papel de ví­ti­ma sa­ben­do-se na con­di­ção de algoz.

Permite que o mi­nis­tro da Fazenda as­su­ma como nor­mal a in­se­gu­ran­ça dos dados do con­tri­buin­te e, se al­guém diz que isso é crime de res­pon­sa­bi­li­da­de, acusa “golpe elei­to­ral”.

Enquanto isso os mais po­bres se ale­gram em poder com­prar, atri­buin­do a bo­nan­ça à ação de um homem sem com­preen­der que é re­sul­ta­do de um pro­ces­so; os mais ricos não que­rem outra vida; os mais re­tró­gra­dos nunca ti­ve­ram tanto car­taz; os mais à es­quer­da não per­dem a es­pe­ran­ça de vir a ter; os mais cons­cien­tes per­ce­bem algo fora do lugar, mas pre­fe­rem se ir­ri­tar por­que não têm ao seu lado tam­bém um líder ca­ris­má­ti­co e sem pudor.

Em um ce­ná­rio assim de­se­nha­do, con­ve­nha­mos, os va­lo­res que estão em jogo soam di­fu­sos para o gros­so do elei­to­ra­do: os de­ve­res do Estado e os di­rei­tos do ci­da­dão.

Neste Brasil de tan­tas ne­ces­si­da­des é pro­vá­vel que, se for posto na ba­lan­ça de um lado o cré­di­to farto e de outro a li­ber­da­de parca, o prato penda a favor do con­su­mo largo.

É um de­ba­te di­fí­cil de ser feito. Quase im­pos­sí­vel em pe­río­dos elei­to­rais por­que sem­pre ha­ve­rá por parte dos acu­sa­dos a ale­ga­ção de que são in­jus­ta­men­te ata­ca­dos por ad­ver­sá­rios “de­ses­pe­ra­dos”, en­quan­to a es­sên­cia da ques­tão se perde: a in­va­são do es­pa­ço ins­ti­tu­cio­nal por tro­pas de ocu­pa­ção com in­te­res­ses es­pe­cí­fi­cos. Ideológicos, fi­sio­ló­gi­cos ou sim­ples­men­te cor­rup­tos.

Sob a in­di­fe­ren­ça das van­guar­das (onde?) e dei­xa­das à mercê do poder da pro­pa­gan­da, as pes­soas não con­se­guem ter a di­men­são da gra­vi­da­de.

Não aten­tam para o se­guin­te: o Estado que deixa si­gi­lo ser que­bra­do, não se in­co­mo­da com pro­prie­da­des pri­va­das in­va­di­das e in­sis­te no con­tro­le dos meios de co­mu­ni­ca­ção ama­nhã ou de­pois pode que­rer re­du­zir a li­ber­da­de ale­gan­do agir em prol do povo e do pa­trio­tis­mo como fator in­dis­pen­sá­vel ao triun­fo do Brasil.

Por isso é im­pro­vá­vel que haja re­per­cus­são elei­to­ral. Se hou­ver, terá sido por causa dos tro­pe­ções e das con­tra­di­ções do go­ver­no.

A na­tu­ra­li­da­de do mi­nis­tro da Fazenda ao dizer que as in­for­ma­ções do con­tri­buin­te não são in­vio­lá­veis é tão es­can­da­lo­sa quan­to a que­bra de si­gi­lo.

Nesse caso a ur­gên­cia fez a im­pru­dên­cia. No afã de afas­tar de Dilma Rousseff as sus­pei­tas de uso po­lí­ti­co da má­qui­na pú­bli­ca, Guido Mantega in­for­ma ao pú­bli­co pa­gan­te que a Receita Federal e a casa da mãe joana são am­bien­tes si­mi­la­res.

Uma con­fis­são de in­ca­pa­ci­da­de de pres­tar o ser­vi­ço con­tra­ta­do pelo ci­da­dão e a im­pos­si­bi­li­da­de de cum­prir a lei que se impõe a todos.

É a ren­di­ção do Estado à ação do crime.

A pro­pó­si­to, se era para dizer uma es­tul­ti­ce dessa en­ver­ga­du­ra o mi­nis­tro da Fazenda es­ta­va mais bem po­si­cio­na­do em sua omis­são dian­te dos fatos.


O Estado de S.Paulo. Domingo, 05 de Setembro de 2010 00:00


Dora Kramer - 05/09/2010

6 comentários:

  1. Mas a gente tem um prefeito?

    ResponderExcluir
  2. EM CASCÁVEL OUTRO ESTADO Á POLICIA FEDERAL DEPOIS DE UMAS ESCUTAS E FILMAGEM FEZ UMA DEVASSA FORAM PRESOS O PREFEITO O VICE PREFEITO OS VEREADORES DE BASE DE BASE , SECRETÁRIOS , O ACESSOR E FUNCIONÁRIOS QUE REALIZAVAM A FAMOSA LICITAÇÃO FAGUTA ...GARANTO E SEI QUE DEUS FARÁ O MESMO AQUI QUEM SABE ISSO É UMA PROVA QUE A LEI EXISTE EM SRA. ACESSORA...AGUARDEM....

    ResponderExcluir
  3. POR HORA SOU ANÔNIMO8 de setembro de 2010 08:34

    ENCOTREI O ACESOR EM UMA CIDADE DA REGIÃO, MAL SABE ELE QUE FIQUEI A ESPERA DA SUA RETIRADA COM BEIJINHOS E ABRAÇOS COM OS MORADORES, TIVE A PACIÊNCIA DE AGUADAR A SUA SAÍDA, COMO NÃO QUERENDO NADA BATI NA MESMA CASA E PERGUNTEI POR ELES, A SRA. FALOU QUE JÁ HAVIA IDO EM OUTROS ELEITORES DA CIDADE, MAS FALOU DO PEDIDO DE VOTO AOS DOIS DEPUTADOS E GARANTIU O REENBOLÇO DA VIAJEM, PERGUTEI QUAL ESCOLA QUE VOTAM, SEI QUE SÃO FANTAMAS..FANTASMA..VOU ESPERAR A ELEIÇÃO COM MINHA MÁQUINA FOTOGRAFIA E LEVAREI NO LOCAL DE VOTAÇÃO, VOU ARRUMAR TESTEMUNHAS ESPEREM ELES CONCORDARAM EM COLABORAR, FIQUE ATENTO ACESOR A HORA ESTÁ CHEGANDO....BEIJINHOS NA HORA H FICARÁ CACANDO..

    ResponderExcluir
  4. Berê diz....
    As eleições estão chegando e vamos juntos votar contra, É ISSO MESMO , NÃO VAMOS VOTAR EM LOBE NETO, ALDO DEMARCHI E LINCON MAGALHÃES ESSES SÃO OS INDIVIDUOS AJUDARAM NOSSA CIDADE FICAR TÃO INSUSTENTÁVEL COMO AGORA.
    Não acreditem mais nesses nomes..
    Não vamos votar neles pelo AMOR DE DEUS.
    Digam não a esses tres nomes, assim A FORÇA DO ATUAL ASSESSOR VAI DESPENCAR...

    ResponderExcluir
  5. A BERÊ TEM MUITA RAZÃO NÃO A CONHEÇO PESSOALMENTE, MAS ISSO NÃO VEM AO CASO, VAMOS FALAR COM OS NOSSOS VIZINHOS, AMIGOS ,PARENTES,ATÉ QUEM CONHECE OS FANTASMAS SEI QUE VÁRIOS ACEITRAM PELO BELO TROFÉU O TERRENO DOS FANTASMAS ELES FORAM ENGUANADOS A HORA É ESSA, VAMOS TRABALHAR A UNIÃO FAZ A FORÇA, NADA É IMBATÍVEL, DIZ MEU VELHO PAI ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA TANTO BATE ATÉ QUE FURA.

    ResponderExcluir
  6. PAULO HENRIQUE FRANCESCHINI8 de setembro de 2010 18:38

    O texto escrito por DORA KRAMER é claro e nos remete a reflexões importantes. Quando ela se refere a VALORES E PRINCIPIOS fico pensando se eles ainda existem.E se existem ate que ponto são praticados? Quando o tema é CHEGAR AO PODER os meios justificam os fins a qq preço.Subornar, roubar mentir,difamar.... vale tudo!!! E fico pensando....o exemplo está, mais uma vez, vindo "de cima", do governo , de Brasilia.Provavelmente ele" não viu" e "não sabe de nada".Estamos cobrando, e muito justamente, valores e principios de nossos representantes municipais.E vamos cobrar cada vez mais.E dos outros representantes não cobramos? Por que? Estarão estes acima do bem e do mal? Eu estou entre aqueles que Dora diz que se sentem indignados.... e a minha indignação tem repercussão no VOTO.A "rendição do Estado á ação do crime" segundo DORA é preocupante e estarrecedora!!! O Estado compactuando com o crime significa o FIM DO ESTADO DE DIREITO... PODE TUDO!!!! Se não temos como mudar podemos pelo menos nos revoltar atraves do VOTO.Por isso o VOTO é considerado a arma mais forte que nós, POVO, temos nas nossas mãos.Parodiando DORA AS FAVAS os POLITICOS truculentos que solapam o ESTADO DE DIREITO... AS FAVAS os politicos que debocham do POVO dizendo que " eu não sei de nada", "eu não fui", e tantas outras desculpas esfarrapadas. AS FAVAS TODOS ELES... DE UMA SO VEZ!!!! PARABENS E OBRIGADO DORA por nos brindar com uma materia que toca nas chagas de nossa cultura politica corrupta,desonesta e covarde!!!!!

    ResponderExcluir

Aqueles que desejarem citar nomes deverão se identificar, pois todos tem direito de defesa e de resposta.
Mas ressaltamos que comentários caluniosos, não serão publicados.
Aproveite este espaço que é seu, usando da melhor maneira!
O Blog Unidos Por Analândia é instrumento sério que busca a verdade e o bem da população Analandense abrindo esse espaço para manifestações e informações!!!